Escolher um modelo de monetização para seu app

  • Ganhos

Para maximizar sua receita, considere uma estratégia de monetização flexível que se adapte aos seus públicos-alvo e mercados. Públicos-alvo diferentes podem ter preferências diferentes para apps pagos, compras no aplicativo, assinaturas, anúncios e outros tipos de comércio eletrônico.

Vender bens ou serviços pelo app

Ao desenvolver um aplicativo para dispositivos móveis Android e distribuí-lo no Google Play, há duas maneiras principais de aceitar pagamentos: o sistema de faturamento do Google Play e o Google Pay.

Vender produtos, softwares ou serviços digitais com o sistema de faturamento do Google Play

usar o sistema de faturamento do Google Play para vender produtos, softwares ou serviços digitais

Use o sistema de faturamento do Google Play para vender produtos, softwares ou serviços digitais em um app no Google Play. O sistema de faturamento do Google Play permite que os usuários comprem produtos e serviços para seu app de maneira consistente, segura e tranquila. Depois que os usuários salvam uma forma de pagamento no Google Play, eles podem usar essa mesma forma em todas as compras futuras com apenas um toque.

Os desenvolvedores que distribuem apps no Google Play precisam usar o sistema de faturamento do Google Play para vender conteúdo no app. Os itens que exigem que os desenvolvedores usem o sistema de faturamento do Google Play incluem o seguinte:

  • Produtos virtuais de jogos, incluindo moedas, pedras preciosas, vidas ou turnos extras, itens ou equipamentos especiais, personagens ou avatares, tempo de jogo extra ou fases adicionais
  • Conteúdo ou funcionalidades do app, como uma versão sem anúncios ou novos recursos indisponíveis na versão gratuita
  • Serviços de assinatura, como streaming de mídia, publicações digitais e serviços de redes sociais
  • Produtos de software na nuvem, incluindo serviços de armazenamento de dados e programas de produtividade empresarial ou gerenciamento financeiro

Vender produtos ou serviços físicos com o Google Pay

usar o Google Pay para vender produtos ou serviços físicos

Use o Google Pay para vender produtos ou serviços físicos usados ou entregues fora do app. O Google Pay oferece aos seus clientes uma maneira mais rápida e segura de fazer pagamentos on-line, tanto em apps quanto em locais que aceitam pagamentos por aproximação. Ao aceitar o Google Pay, o processo de finalização da compra acelera, já que os usuários não precisarão inserir os detalhes de pagamento toda vez ou quando fizerem o download do seu app pela primeira vez.

Recomendamos que os desenvolvedores usem o Google Pay nestes produtos:

  • Mercadoria de varejo, como alimentos, roupas, utensílios domésticos e eletrônicos
  • Serviços físicos, incluindo serviços de táxi e transportes, serviços de limpeza, entrega de alimentos, passagens aéreas e ingressos para eventos
  • Taxas de associação únicas ou recorrentes, incluindo inscrições em academias, programas de fidelidade ou clubes que oferecem acessórios, roupas ou outros produtos físicos
  • Pagamento eletrônico de faturas, incluindo contas de cartão de crédito, água, luz e serviços de TV a cabo ou telecomunicações

Outras opções de monetização de apps

Publicidade

Receba para exibir anúncios da Google AdMob, incluindo anúncios nativos que permitem corresponder anúncios à aparência do seu app.

Defina o preço que será pago pelo usuário antes do download e da instalação do app. Aqui também é possível usar os preços locais automáticos (ou definir os preços manualmente), os códigos promocionais e os modelos de preços.

Práticas recomendadas para definir a estratégia de monetização inicial

  • Pesquise outros apps da sua categoria: saiba como outros desenvolvedores cobram pelos apps e conteúdos. Avalie a possibilidade de oferecer aos usuários formas alternativas de pagamento.
  • Pense em como seu app será usado: os padrões de uso dele podem indicar as melhores opções de monetização. Para apps com uso mais casual, a publicidade e as compras no aplicativo podem ser as opções apropriadas. No entanto, procure sempre oferecer uma compra no aplicativo que exclui anúncios.
  • Use extensões naturais: se o app puder ser estendido ou expandido, por exemplo, com a adição de níveis em um jogo, considere a possibilidade de disponibilizar o app principal gratuitamente e oferecer recursos estendidos com compras no aplicativo ou assinaturas.
  • Considere suas estruturas de custos: se o conteúdo tem custos recorrentes e significativos, uma alternativa seria o uso de assinaturas. Disponibilize um período de avaliação gratuita para incentivar a aceitação.
  • Considere seu público-alvo: para alguns públicos, o escopo para o uso de publicidade, assinaturas ou compras no aplicativo pode ser limitado. Por exemplo, os usuários preferem pagar por um app sem anúncios e indicado para crianças do que por um app de uso casual. Nesses casos, os apps premium (pagos) são mais apropriados.
  • Considere fatores locais ao definir preços: ao definir preços de apps, compras no aplicativo ou assinaturas em mercados específicos, considere diferenças de custo de vida, padrões de preços locais, preços de apps concorrentes e outros fatores de mercado.

Práticas recomendadas para otimizar sua estratégia de monetização

  • Analise estatísticas no Google Play Console: entenda os padrões de compra do usuário, incluindo estatísticas de receita média por usuário pagante e de compradores novos e recorrentes.
  • Entenda o comportamento de compra com o Google Analytics para Firebase: com dados de até 500 eventos no app, o Google Analytics para Firebase fornece insights sobre o comportamento de compra de usuários.
  • Faça experimentos de precificação: use testes A/B no app para tentar diferentes preços e formas alternativas de incentivar os usuários a fazer assinaturas ou comprar produtos no aplicativo.
  • Ofereça um preço promocional: os apps pagos podem usar preços promocionais no Play Console para oferecer descontos por tempo limitado e incentivar mais compras.